Cirurgia Refrativa Oftalmolosita Porto Alegre

Descolamento de retina: causas, sintomas e tratamento

O descolamento de retina é, de forma bastante simplificada, uma circunstância caracterizada pelo desprendimento da retina da face interna do globo ocular.

A retina é uma membrana que, presente no segmento posterior dos olhos, faz a transformação dos estímulos de ordem luminosos em estímulos nervosos. A estrutura é responsável pela leitura das imagens e pela nossa capacidade de enxergar e discernir o que é visto.

O deslocamento da retina é um problema mais comum em pessoas mais velhas, mas têm atingido indivíduos jovens nos últimos anos. Isso acontece por conta da alteração de hábitos de consumo, excesso de exposição à luz e o crescimento da miopia.

Doenças inflamatórias, por sua vez, também podem ser responsáveis pelo surgimento do quadro clínico em questão.

Neste artigo, falaremos sobre os sintomas mais comuns do descolamento de retina e sobre os impactos da circunstância na saúde e na visão. Confira.

Quais são os sintomas do descolamento de retina?

O processo não costuma causar dor, o que faz com que às vezes demore um pouco para ser identificado.

Pessoas acima dos quarenta anos devem estar mais atentas aos sintomas abaixo, embora já tenhamos comentado que indivíduos jovens também podem ser acometidos pelo descolamento de retina.

Moscas volantes

O nome é curioso, mas faz sentido: pessoas cuja retina apresenta deslocamento podem ter a impressão de moscas ou insetos passando rapidamente diante dos olhos.

Manchas escuras que se movem são, portanto, indício de que algo foge à normalidade.

Visão embaçada ou turva

Pessoas e objetos podem ficar sem definição à distância e, às vezes, até quando estão próximos do paciente.

Ter dificuldade para discernir contornos, não conseguir ler direito e afins são indícios de problemas.

Se a situação não for tratada, pode haver perda súbita de visão de um ou dos dois olhos.

Flashes de luz

O indivíduo afetado tem a impressão de ver “faíscas”, especialmente quando está em ambientes mais escuros.

Fatores de risco para o deslocamento da retina

Traumas nos olhos e na região da cabeça devem ser investigados, uma vez que podem precipitar o surgimento de enfermidades diversas.

Tumores na região da cabeça, como os causados por prolactinomas, também podem ter relação direta com problemas de visão.

Outros fatores de risco incluem histórico familiar, envelhecimento precoce, catarata, glaucoma e diabetes não tratada.

Como diagnosticar e tratar o distúrbio?

O diagnóstico é feito através do mapeamento da retina e de outros procedimentos, como o ultrassom ocular.

O tratamento varia de acordo com a extensão e gravidade do caso. Intervenções cirúrgicas são necessárias quando tratamentos mais conservadores, como a fotocoagulação com laser e a utilização de medicamentos, não surtem o efeito desejado.

Os procedimentos cirúrgicos mais comuns são:

Retinopexia pneumática

Trata-se da injeção de gás no interior do olho ou dos olhos afetados, com o intuito de “fechar” o buraco existente na região da retina.

É realizado quando o descolamento foi provocado por rupturas na região superior do olho.

Após a cirurgia, é preciso ficar em repouso, utilizar colírios específicos, evitar contato com animais de estimação, entre outras recomendações.

Vitreoctomia

Cirurgia que objetiva retirar o gel vítreo, que está presente dentro do globo ocular, e substituí-lo por outro componente.

Pode ser feita para tratar outras doenças oftalmológicas, como tromboses venosas e hemorragias.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp